Nesta semana, o Tribunal de Justiça de São Paulo negou um recurso apresentado pela defesa do ex-presidente Lula para que o processo envolvendo o político fosse remetido à Justiça Estadual. A ação penal apura irregularidades envolvendo um Tríplex, no Guarujá, em São Paulo e a cooperativa Bancoop.

No recurso, os advogados do ex-presidente argumentaram que os fatos investigados não teriam relação com a Operação Lava Jato.

No entanto, o relator do caso, o desembargador Nuevo Campos, ressaltou no voto que o caso envolvendo o ex-presidente indica robusta conexão com os fatos apurados na Operação Lava Jato.

Campos lembra ainda que, na mesma ação penal, são acusados o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, investigados em outros processos fruto da operação.

Em votação unânime, o Tribunal de Justiça de São Paulo negou o recurso e manteve o processo na 13ª Vara Federal, em Curitiba, onde atua o juiz Sérgio Moro. Além de Lula, são réus na mesma ação penal a esposa dele, Marisa Letícia, o filho do político Fábio Luiz Lula da Silva, entre outros. Eles são acusados de crimes como lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Repórter: Ana Krüger.

Deixe seu comentário