LAVA JATO

O Conselho Superior do Ministério Público Federal, que é presidido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estendeu até o dia 8 de setembro de 2017 o funcionamento da força-tarefa do MPF que atua na operação Lava Jato em Curitiba.

O grupo é coordenado pelo procurador Deltan Dallagnol e conta com mais dez integrantes fixos. Eles se dedicam exclusivamente às investigações do esquema de corrupção da Petrobras. A força-tarefa foi criada por Rodrigo Janot em abril de 2014 – apenas um mês após a deflagração da primeira etapa da Lava Jato.

Em dois anos e meio de operação, o grupo já foi responsável pela instauração de quase 1.400 procedimentos. 70 acordos de delação premiada foram firmados com pessoas físicas e seis de leniência com empresas acusadas de participarem do cartel que fraudava licitações da Petrobras.

Os procuradores já ofereceram 46 denúncias contra 225 pessoas, além de sete acusações de improbidade administrativa contra 38 pessoas físicas e 16 empresas, pedindo o pagamento de mais de R$ 12 bilhões. Até o momento, foram 106 condenações, somando 1.148 anos de prisão.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário