Foto: Justiça Federal
Foto: Justiça Federal
Foto: Justiça Federal

A Justiça Federal do Paraná prorrogou por uma semana o prazo para a Polícia Federal apresentar o resultado das perícias realizadas nos materiais apreendidos nas duas primeiras fases da operação Hashtag.

A decisão é do juiz Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelos inquéritos da operação Hashtag, que apura a participação de brasileiros em uma suposta célula terrorista que planejava ataques terroristas na Olimpíada do Rio de Janeiro. No despacho, o juiz estabeleceu como prazo final improrrogável para apresentação dos laudos periciais o dia 16 de setembro.

Os laudos estão relacionados à perícia feita nos materiais apreendidos nas duas primeiras fases da operação, realizadas nos dias 21 de julho e 11 de agosto. O juiz, no entanto, não atendeu ao pedido da Polícia Federal, que solicitou mais dois meses e meio para conclusão dos trabalhos. Ele disse que não havia possibilidade de o pedido ser atendido e também criticou o “ritmo lento” com que as perícias estão sendo conduzidas pela PF.

O juiz afirmou que, depois de quase 40 dias da primeira etapa da operação, a quantidade de laudos emitidos até agora é incompatível com o tempo decorrido, com a natureza dos crimes investigados, enquadrados na Lei Antiterrorismo, com a prioridade que as perícias deveriam ter no Instituto Nacional de Criminalística, além do fato de que há 15 investigados detidos no momento – sendo que 12 têm as prisões temporárias vencendo no próximo dia 18.

Portanto, segundo Marcos Josegrei, há necessidade de, o mais rápido possível, se delinear a existência, ou não, de indícios de materialidade e autoria delitivas envolvendo cada investigado. Agora, a PF tem uma semana para apresentar os laudos das perícias sob risco de sofrer punições em caso de descumprimento da decisão.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário