Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados
Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados
Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

A maioria da bancada paranaense na Câmara dos Deputados deve votar a favor da cassação de Eduardo Cunha. A sessão que vai definir o futuro do parlamentar está marcada para esta segunda-feira.

O processo contra Eduardo Cunha se arrasta há dez meses. Ele é acusado de mentir na CPI da Petrobras, no ano passado, ao dizer que não possuía contas secretas na Suíça. O processo por quebra de decoro parlamentar foi instaurado em novembro. Seis meses depois, Cunha foi afastado da Câmara por decisão do Supremo Tribunal Federal. Logo em seguida, renunciou à presidência da Casa.

A sessão que vai discutir a cassação está marcada para 19h. Cunha deve comparecer à Câmara para se defender pessoalmente. É preciso 257 votos de um total de 511 deputados para a confirmação da perda do mandato. E a grande maioria dos parlamentares do estado deve votar a favor da cassação.

É o que pensa o deputado Toninho Wandscheer, líder da bancada paranaense na Câmara. Ele não vai participar da sessão por motivos de saúde, mas acredita em uma votação quase unânime pelo afastamento definitivo de Eduardo Cunha.

O paranaense Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara, chamou a passagem de Cunha pela presidência da Casa como uma ‘triste página da história política do Brasil’.

O deputado João Arruda, do PMDB, também acredita que a cassação é “inevitável”. Ele disse que tem contato com Eduardo Cunha, por serem do mesmo partido, mas vai votar pela cassação. E afirmou ainda que a tendência é que a bancada paranaense vote em peso pela perda do mandato de Cunha.

Um levantamento feito pelo jornal “O Estado de São Paulo” aponta que, dos 30 deputados paranaenses, 18 já declararam voto a favor da cassação de Cunha e nenhum se manifestou contra.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário