Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, enviou para o juiz Sérgio Moro um dos processos contra o ex-deputado Eduardo Cunha.

Com a cassação, concretizada no início da semana, Eduardo Cunha também perdeu o foro privilegiado e o direito de ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Por isso, nesta quarta-feira, o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no tribunal, decidiu enviar para instâncias inferiores os dois processos em que Cunha é réu.

Um deles foi encaminhado ao juiz Sérgio Moro. A ação penal trata de contas secretas na Suíça, em nome de Cunha, que teriam sido abastecidas com dinheiro de origem ilícita vindo da compra de um campo de petróleo na África. Somente nesse esquema, o ex-deputado teria recebido mais de R$ 5 milhões em propina para viabilizar a assinatura do contrato.

Lembrando que a esposa de Cunha, a jornalista Claudia Cruz, já é ré da Lava Jato em primeira instância. O processo está nas mãos de Moro, na Justiça Federal do Paraná, ainda em fase inicial de julgamento. Logo depois da confirmação da perda do mandato, Cunha afirmou que não temia ser julgado por Moro.

O outro processo contra Cunha foi enviado para o Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no Rio de Janeiro, pois também envolve a ex-deputada Solange Almeida, do PMDB, que é prefeita do município carioca de Rio Bonito e tem foro em segunda instância. A ação apura pagamentos de propina de cinco milhões de dólares ao ex-deputado, desviados de contratos de navios-sonda da Petrobras.

Além disso, Cunha é investigado em mais seis inquéritos, que ainda estão no STF, mas também poderão ser enviados a outras instâncias. No mesmo despacho, o ministro Teori Zavascki arquivou um pedido de prisão contra Cunha apresentado no final de junho pela Procuradoria Geral da República.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário