Foto: Dálie Felberg/Alep
Foto: Dálie Felberg/Alep

Liberados do trabalho em plenário até as eleições municipais, os deputados estaduais vão retomar as sessões em outubro com a discussão sobre orçamento.

A principal expectativa é por definições com relação ao reajuste dos servidores.

Sessão plenária encerrada na manhã deste 20 de setembro, agora os deputados só pisarão de novo no plenário em 03 de outubro.

Conforme ficou definido na última semana, o presidente da Assembleia Legislativa, o tucano Ademar Traiano, liberou os parlamentares para que possam atuar em seus municípios nesta reta final de campanha.

No retorno dos trabalhos, as discussões devem ficar concentradas no orçamento.

Junto com o texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias, chegará à Casa também uma esperada definição relacionada ao funcionalismo.

O governo retardou a aprovação da LDO em momentos anteriores, sob o argumento de que precisava aguardar decisões no Congresso. Agora, resta saber se vai ser mantida a posição já colocada pela Fazenda, de que é impossível pagar o reajuste salarial e também as promoções e progressões de carreira que estão em atraso.

De acordo com o líder do governo na Assembleia, Luiz Claudio Romanelli (PSB), limites fixados em Brasília devem manter o freio nos gastos. Com isso, deve ficar mantida a lógica de que é um ou o outro.

A oposição já critica esse posicionamento de adiar os compromissos com os servidores. A reação é de Péricles de Mello (PT).

A exemplo do que aconteceu quando a polêmica surgiu no Legislativo meses atrás, Romanelli defendeu que o governo não pode queimar todo o caixa na folha de pagamento.

As sessões plenárias na Assembleia Legislativa serão retomadas em 03 de outubro, dia seguinte às eleições municipais.

Repórter Cristina Seciuk

Deixe seu comentário