Na segunda-feira, vereadores de Curitiba decidem se a denúncia de agressão contra o vereador professor Galdino (PSDB) será analisada por uma Comissão Processante.

O parlamentar é acusado de agredir a vereadora Carla Pimentel (PSC) em uma sala de reuniões anexa ao plenário da Câmara Municipal de Curitiba. O caso aconteceu na semana passada.

A comissão processante é instaurada em casos de denúncias graves, passíveis de cassação do mandato do político. Para que o caso siga para a comissão, é preciso voto favorável da maioria simples, ou seja, 20 vereadores. A votação deve acontecer na sessão da próxima segunda-feira (26). A comissão processante é formada por três vereadores escolhidos por sorteio.

Nesta quinta-feira (22), a corregedora da Câmara, vereadora Noemia Rocha (PMDB), deu parecer pelo recebimento da denúncia de agressão contra Galdino.

A acusação, feita por Carla Pimentel, chegou na última sexta-feira (16) à mesa executiva da Câmara, que solicitou um posicionamento da corregedoria antes de definir qual encaminhamento dar à denúncia.

Galdino nega a situação e afirma que é vítima de uma armação política.

Repórter Ana Krüger

Deixe seu comentário