Foto: Chico Camargo / CMC
Foto: Chico Camargo / CMC

Após duas tentativas frustradas, a Câmara Municipal ainda não conseguiu notificar o vereador professor Galdino da abertura de um processo contra ele. A Comissão processante foi até o gabinete e a casa do parlamentar, mas ele não foi encontrado.

Se nesta sexta, o vereador não for localizado, Galdino vai ser notificado via diário oficial.

Assim que o tucano for notificado, a Comissão Processante da Câmara Municipal de Curitiba tem noventa dias para concluir o processo de cassação do mandato do vereador. Professor Galdino é acusado de agredir a vereadora Carla Pimentel, do PSC. O episódio aconteceu no último dia 14.

A comissão tem três tentativas de notificar Galdino pessoalmente. Duas já foram frustradas nesta quinta feira (29) quando o político não foi localizado nem no gabinete, nem na casa onde mora. Nesta sexta (30), a comissão deve tentar pela última vez notificá-lo pessoalmente.

Se não for encontrado, Galdino vai ser informado do início da investigação via diário oficial.

A comissão processante é formada por Felipe Braga Côrtes, do PSD; Mestre Pop, do PSC e Tico Kuzma, do PROS; presidente a comissão. Eles foram escolhidos por sorteio.

Após a notificação de Galdino, a primeira etapa do processo é a apresentação da defesa prévia, por escrito. Para isso, o vereador terá dez dias.

A agressão à Carla Pimentel teria ocorrido em uma sala anexa ao plenário da Câmara. A acusação da vereadora contra Galdino chegou à mesa executiva da Câmara no dia 16/09.

O parlamentar nega a acusação e afirma que é vítima de uma armação política.

Repórter Ana Krüger

Deixe seu comentário