LAVA JATO

Os detidos na Lava Jato na capital paranaense não vão votar, porque a maioria não possui título em Curitiba, além disso, o Tribunal Regional Eleitoral não vai abrir sessões na superintendência da Polícia Federal e nem no Complexo Médico Penal.

De acordo com a Legislação Eleitoral, somente presos provisórios e adolescentes internados têm direito a voto porque não tiveram os direitos políticos suspensos. Para votar, os detentos devem transferir o título para a seção eleitoral correspondente ao presídio. As seções eleitorais só serão instaladas nas unidades com, no mínimo, 20 presos aptos a votar. Caso este número não seja atingido, os detentos podem justificar a ausência depois das eleições explica Juliana Bertoldi, especialista em direito público com ênfase em direito penal.

No Paraná, o Tribunal Regional Eleitoral abre uma única seção eleitoral, na Penitenciária Feminina de Piraquara. Ali, pouco mais de 30 presas podem votar. Sendo assim, nenhum investigado da operação Lava Jato vai participar da eleição deste domingo (02) – nem na superintendência da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida, e nem no Complexo Médico Penal, em Pinhais.

A advogada analisa a baixíssima participação de detentos no processo de votação.

Atualmente, 24 pessoas estão presas em Curitiba em decorrência da Lava Jato.

Repórter Andressa Tavares

Deixe seu comentário