Foto: Memória EBC

O projeto de lei que autoriza a visitação de animais domésticos em hospitais paranaenses segue para a sanção do governador Beto Richa. Porém, o sindicato dos hospitais do Paraná não concorda com a entrada de qualquer animal nas instituições do estado.

Pela proposta, fica autorizado o ingresso de animais de estimação em hospitais privados e públicos em todo o Paraná. Cada hospital pode criar as próprias normas para a entrada dos bichos. No caso dos cachorros, além da coleira, quando necessário, o animal deverá estar com um enforcador e focinheira. Também serão exigidas higienização e vacinação atualizada.

Porém, Luiz Rodrigo Milano, presidente do Sindicato dos Hospitais do Paraná e vice-presidente da Federação Paranaense dos Hospitais, não concorda com a entrada de qualquer tipo de animal nos hospitais e acredita que há riscos para os pacientes.

O sindicato não é contra a presença de animais em hospitais. A prática já existe em instituições de Curitiba, como a Santa Casa e o Hospital Cajuru. Mas, segundo Luiz Rodrigo Milano, os animais precisam estar treinados e acompanhados por pessoas acostumadas com a dinâmica hospitalar para eliminar os riscos aos pacientes.

A proposta aprovada pela Assembleia, no entanto, prevê que as pessoas internadas possam receber a visita dos próprios animais. É justamente esse ponto que o sindicato discorda.

A Santa Casa de Curitiba recebe a cada 15 dias a visita de bichos através de um projeto da ONG Amigo Bicho. Os animais são treinados, higienizados e vacinados e estão sempre acompanhados de voluntários. O perfil também é específico: os bichos precisam ser dóceis e amigáveis e não podem ser agitados ou agressivos.

O setor de psicologia acompanha o trabalho e avalia os pacientes que podem receber a visita dos bichos. Para a psicóloga da Santa Casa de Curitiba, Luciana Távora Mira, a visita dos animais provoca sentimentos positivos nas pessoas internadas.

O projeto foi aprovado por unanimidade em redação final, última etapa de votações na Assembleia, e agora segue para sanção ou veto do governador Beto Richa.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário