Alunos vão às ruas e ocupam cinco colégios da região de Curitiba contra reforma do ensino médio

Este slideshow necessita de JavaScript.

Estudantes de ao menos vinte colégios estaduais protestaram contra a reforma do ensino médio em Curitiba e região. A manhã desta quarta-feira foi de manifestação no centro da cidade. Além da mobilização nas ruas, cinco escolas estão ocupadas por alunos.

Com apitos, faixas, cartazes e palavras de ordem, centenas de estudantes estiveram na Praça Santos Andrade nesta quarta. Uniformizados e em grupos, muitos foram até a praça direto do colégio para se posicionar contrariamente à Medida Provisória apresentada pelo governo federal e que define mudanças na educação.

A preocupação dos estudantes é com a possibilidade de uma suposta precarização, como explicou o presidente do grêmio estudantil do Colégio Estadual Paulo Leminski, Gabriel Nunes Pinheiro, de 17 anos.

Outro motivo de críticas dos estudantes está relacionado à reestruturação das séries finais do ensino regular. Segundo a MP, durante um ano e meio o aluno vai cursar uma grade curricular padrão e na segunda metade do ensino médio pode decidir em quais áreas de conhecimento quer se aprofundar.

Para muitos alunos, essa mudança pode dificultar ainda mais a escolha da futura profissão.

Para a aluna Maria Luiza Bernardes Brambilo, do segundo ano do médio, a reforma reduz conteúdos e sonega conhecimento.

Após o ato na Santos Andrade, os estudantes seguiram em passeata até a Boca Maldita, acompanhados de representantes da UPES e da APP Sindicato.

De acordo com a Polícia Militar, mais de 500 pessoas participaram do protesto.

Além da manifestação nas ruas, aumentou a quantidade de escolas ocupadas na região de Curitiba.

De acordo com a União Paranaense dos Estudantes Secundaristas, além do Colégio Estadual Padre Arnaldo Jansen, ocupado na noite da segunda-feira (03), as ocupações se estenderam na noite de ontem (terça, 04) para o Elza Sheren Moro e o Afonso Pena; além desses, a própria Secretaria de Estado da Educação confirma que o movimento de alunos também mantém ocupados na manhã desta quarta-feira (05) o Herbert Souza e o Costa Viana. Todos os cinco ficam em São José dos Pinhais.

Não há previsão de liberação dos prédios por parte dos alunos e as aulas estão paralisadas. De acordo com a secretaria, cada escola é responsável por elaborar calendários de reposição, que tem que estar de acordo com a obrigatoriedade de 200 dias letivos e 800 horas/aula no ano.

Ainda de acordo com a secretaria da educação, até o momento os estudantes que participam das ocupações não aceitaram dialogar com a pasta, tentativas que seguirão pelos próximos dias. Se um canal de comunicação não for estabelecido, o governo do estado já confirma que vai pedir reintegração de posse na Justiça.

Sobre as reformas previstas na Medida Provisória, a secretaria de Estado se comprometeu em debater as alterações com a comunidade antes da sua implantação nas escolas paranaenses.

Repórter Cristina Seciuk



Categorias:CBN Cidade

Tags:, , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: