Chuva de granizo vira “neve” no Rebouças; gelo também causou estragos na região

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foi de uma hora para a outra. O céu começou a escurecer, as nuvens se acumularam e por volta das 13h desta quinta-feira a tempestade desabou.

Além do grande volume de água, várias regiões de Curitiba também foram atingidas por uma forte chuva de granizo. O cenário no bairro Rebouças era impressionante. A Rua Almirante Gonçalves foi a que mais acumulou gelo.

Uma camada de quase 30 centímetros cobriu as calçadas e parte da rua, como um tapete. Era granizo, mas, para os mais animados, virou neve. A dona de casa Michele Moreira mora no Cristo Rei, mas quando soube do fenômeno correu para o Rebouças.

Não demorou para que a rua ficasse movimentada de curiosos que faziam vídeos, tiravam selfies e brincavam com o gelo. A maioria era de adultos mesmo.

O mecânico Carlos Henrique Brunetti trabalha na esquina da Rua Almirante Gonçalves com a João Negrão. Surpresos com a quantidade de gelo, os funcionários e comerciantes vizinhos encerraram o expediente e foram aproveitar a cena tão inusitada.

As ruas mais atingidas no Rebouças foram a Alferes Poli, entre as ruas Almirante Gonçalves e Brasílio Itiberê, e a Rua Brasílio Itiberê, entre as ruas Piquiri e João Negrão. Os trechos chegaram a ficar totalmente bloqueados durante parte da tarde desta quinta-feira.

Além da diversão, a chuva de granizo também trouxe muito prejuízo. Garis, moradores e comerciantes do Rebouças passaram a tarde tentando dispersar pelo menos parte do gelo e secar os imóveis.

O Fábio Henrique da Silva trabalha e mora em uma casa na Rua Almirante Gonçalves. Com uma vassoura na mão, empurrando o granizo para os bueiros, ele relata os estragos da tempestade.

O empresário José Lorena é dono de um açougue que fica na esquina da Rua Almirante Gonçalves com a João Negrão. Todos os funcionários tiveram que passar a tarde recuperando o espaço.

Com uma camada de quase trinta centímetros de gelo, vários motoristas também tiveram prejuízos. A lataria de vários carros ficou com as marcas das pedras de gelo. O pára-choque do carro do mecânico Rudson Lopes não resistiu.

Apesar da tempestade e da chuva de granizo, nem a Copel nem a Defesa Civil de Curitiba registraram ocorrências. De acordo com a prefeitura, além do Rebouças, as regiões mais atingidas pelo temporal foram o Centro e a região de Santa Felicidade.

Foram registrados alagamentos em alguns Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), na Casa de Passagem para Mulheres e LGBT, no Rebouças, e nas US Capanema e Ouvidor Pardinho.

No CMEI Augusta, houve infiltração de água da chuva nas paredes. Telhas foram danificadas no CMEI São Leonardo. No CMEI Trindade, o alagamento de salas de aula levou ao remanejamento de 30 crianças para outras salas.

Repórter Ana Krüger



Categorias:Cidade

Tags:, ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: