Foto: EBC
Foto: EBC
Foto: EBC

O ex-presidente Lula terá um prazo adicional de cinco dias para apresentar a defesa prévia, a primeira manifestação do réu depois da abertura da ação penal. O petista, no entanto, queria mais 55 dias para apresentar o documento à Justiça Federal do Paraná.

O juiz Sérgio Moro negou o pedido da defesa de Lula e da esposa dele, Marisa Letícia, que desejava mais 55 dias para apresentar a resposta preliminar. O número corresponde, segundo a defesa, ao período entre a instauração do inquérito policial e o oferecimento da denúncia pelo Ministério Público Federal. Lula e Marisa queriam exatamente o mesmo prazo de 55 dias para responder a acusação.

Moro, no entanto, disse que é inviável conceder um prazo tão longo para a defesa e que não há base legal para o pedido. A resposta preliminar, segundo o juiz, é uma peça menos complexa e não tem objetivo de esgotar todas as matérias da defesa, o que só seria possível após a instrução, nas alegações finais. Normalmente, os réus têm dez dias para apresentar a defesa prévia.

Ainda de acordo com o juiz, o casal tem conhecimento da denúncia desde o início de setembro e sabe da investigação de irregularidades no triplex do Guarujá desde março, quando foi realizada a 24ª fase da Lava Jato. Diante disso, o juiz entende que não há qualquer dificuldade para apresentar a resposta preliminar, negando o pedido de Lula e Marisa Letícia.

Como o prazo para protocolar o documento vencia ontem, Moro decidiu conceder apenas mais cinco dias para todos os réus. Até o momento, dos oito acusados, apenas o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, apresentou a resposta preliminar. Lula foi denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de receber R$ 3,7 milhões em propina desviada da Petrobras através de benefícios pagos pela OAS: a reforma do triplex no Guarujá, além do armazenamento de bens retirados do Palácio do Planalto.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário