Fotos de ouvintes da CBN Curitiba com estragos provocados pela explosão

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em nota divulgada à imprensa, a empresa responsável pelos explosivos em Bocaiúva do Sul se diz vítima de um crime praticado por terceiros. O local pegou fogo depois que um caminhão explodiu na tarde do último sábado. Oito pessoas ficaram feridas e pelo menos 160 casas foram parcialmente destruídas.

O incêndio ocorreu por volta das 15h30 de sábado, atingindo um barracão onde funcionava um comércio de explosivos em Bocaiúva do Sul.

De acordo com a Polícia Militar, o fogo atingiu um caminhão carregado com carga explosiva que estava estacionado no pátio da empresa. Pouco depois houve uma explosão. O barracão fica na BR-476, na altura do KM 98.

O trecho é conhecido como Estrada da Ribeira. A região é chamada de Aterradinho e fica a dois quilômetros da entrada de Bocaiúva do Sul.

Várias casas foram atingidas e ficaram parcialmente destruídas. Ouvintes da CBN Curitiba afirmam que sentiram tremores de terra em algumas cidades da Região Metropolitana Curitiba.

Os reflexos da explosão foram sentidos também em cidades do litoral. O advogado Edson de Souza estava em antonina quando sentiu um forte deslocamento de ar.

O coordenador Municipal da Defesa Civil em Bocaiúva, André Rego, disse que situação é caótica na cidade. Foram 160 casas atingidas. 24 ficaram completamente destruídas. Nove pessoas estão desabrigadas e pelo menos 80 estão desalojadas, em casas de familiares ou amigos. Oito pessoas tiveram ferimentos leves.

O município está aceitando doações. De acordo com o coordenador da Defesa Civil, a maior demanda, por enquanto, é por materiais de construção. A defesa civil alerta sobre a possibilidade de acidentes envolvendo moradores que tentam consertar os estragos.

O telefone para doações é o 3658 2227. Por decisão do delegado de da cidade, Mario Sérgio Bradock, o dono da empresa foi preso e permanece na delegacia de Bocaiúva do Sul.

Em nota, a empresa Explopar afirma que está estabelecida há mais de 22 anos em Bocaiúva do Sul e sempre cumpriu rigorosamente com todas as obrigações exigidas pelas autoridades competentes.

A Explopar possui todos os alvarás e licenças necessárias para o regular funcionamento e tem absoluta convicção de que a explosão ocorrida na tarde de sábado foi provocada por ação criminosa praticada por terceiro.

O texto informa ainda que a empresa confia plenamente nas autoridades constituídas e acredita que em pouco tempo este crime será desvelado.

A nota é finalizada informando que a Explopar se solidariza com aqueles que também foram vítimas e garante que se esforçará ao máximo para minimizar os danos causados em decorrência da explosão.

Repórter Fábio Buchmann

Deixe seu comentário