Foto: Andressa Tavares / CBN Curitiba
Foto: Andressa Tavares / CBN Curitiba

Integrantes do Fórum das Entidades Sindicais foram até a Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (10) entregar ao presidente da Casa um oficio, que já havia sido encaminhado ao Palácio Iguaçu, pedindo a retirada da proposta do Governo que revoga a reposição salarial dos servidores.

Os protestos tiveram início nos corredores do prédio e continuaram nas galerias, durante a sessão.

O reajuste está previsto em lei – foi prometido pelo executivo em meio à greve, ocupação do Legislativo e o confronto no Centro Cívico, que deixou mais de 200 feridos, em 2015.

José Maria Marques, da coordenação do FES, fala que se o governo não desistir da emenda, vai ter greve geral no Paraná, a partir do dia 17.

O Governo estadual afirma que suspendeu o pagamento do reajuste em razão da baixa arrecadação e que vai priorizar a quitação de atrasados, de promoções e progressões que somam R$ 750 milhões de reais até o fim do ano.

O líder do executivo na Casa, Luiz Cláudio Romanelli (PSB), informa que será realizada uma audiência pública no dia 19/10 pra debater a questão, dois dias após o início da paralisação. O parlamentar disse também que o projeto só será votado após o dia 30 de novembro.

O recuo do Governo está no texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias. O material é analisado pela Comissão de Orçamento presidida pelo oposicionista Nereu Moura (PMDB), que fala em atitude impositiva por parte de Beto Richa.

O relator da proposta é o deputado governista Elio Rusch, do DEM. O Paraná não é uma ilha, segundo ele, justificando a iniciativa.

Repórter Andressa Tavares

Deixe seu comentário