Foto: AEN
Foto: AEN

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná gastou mais de três milhões de reais de forma irregular, segundo o Tribunal de Contas do Estado.

Inspetores do Tribunal de Contas do Paraná apontam que desde o ano passado, a Secretaria de Estado da Segurança Pública gastou R$ 3,325 milhões de forma indevida. O recurso foi utilizado pelo Departamento de Polícia Civil, que integra a pasta. O dinheiro foi gasto na manutenção de viaturas.

De acordo com o tribunal, em janeiro do ano passado o Governo do Estado, após licitação, firmou um contrato com uma empresa para a manutenção de mais de 15 mil carros. O serviço incluía a revisão de veículos de vários setores, inclusive da segurança pública.

Ignorando o contrato em vigor, o Departamento de Polícia Civil usou o dinheiro do Fundo Rotativo para fazer a manutenção das viaturas. O fundo é destinado apenas para emergências. Mesmo em casos extremos, o recurso só poderia ser liberado após licitação. O que não ocorreu.

Além de a Secretaria ser notificada da irregularidade, os inspetores do Tribunal de Contas também sugerem a aplicação de multas. Seriam punidos o atual secretário de segurança pública, Wagner Mesquita; o antecessor dele, o hoje deputado federal Fernando Francischini; e o delegado-geral do Departamento de Policia Civil, Julio Cézar dos Reis.

Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria de Segurança Pública informou que, até o fechamento desta reportagem, não tinha sido notificada oficialmente. Assim que isso acontecer a pasta deve tomar as medidas cabíveis.

Repórter: Ana Krüger

Deixe seu comentário