Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

O juiz Sérgio Moro determinou nesta quinta-feira (13) que Eduardo Cunha seja notificado do início do julgamento da ação penal em primeira instância. Assim que for notificado, o ex-deputado terá dez dias para apresentar a resposta à acusação, que é a primeira manifestação da defesa após o recebimento da denúncia.

Eduardo Cunha é acusado de manter contas secretas na Suíça, que seriam abastecidas com dinheiro desviado da Petrobras. A denúncia foi apresentada no início do ano pela Procuradoria Geral da República e acolhida pelo STF em junho. Após a cassação do mandato de Cunha, e a perda do foro privilegiado, o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo, determinou o envio da ação para a primeira instância.

No mês passado, o processo foi remetido ao juiz Sérgio Moro. Ele decidiu consultar o Ministério Público Federal, que ratificou a denúncia apresentada pela PGR. Com isso, nesta quinta-feira, Moro deu início à tramitação da ação na Justiça Federal do Paraná. Eduardo Cunha agora é formalmente réu da Lava Jato em Curitiba. Ele responde por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

De acordo com a denúncia, Cunha teria recebido, pelas contas na Suíça, R$ 5 milhões desviados de um contrato da Petrobras para compra de parte de um campo de exploração de petróleo na África, em 2011. O negócio foi comandado pela Diretoria Internacional da estatal. Para que o pagamento fosse efetuado sem deixar rastros, as investigações apontam a criação de um esquema para que a propina passasse por diversas contas offshore antes de chegar aos destinatários finais. Outros envolvidos no esquema já tinham sido denunciados e se tornaram réus em Curitiba, incluindo a esposa de Eduardo Cunha, a jornalista Cláudia Cruz.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário