Foto: Tabata Viapiana

Este slideshow necessita de JavaScript.

Movimentos sociais ligados aos que pediram o impeachment da presidente Dilma Roussef em Curitiba questionam a falta de diálogo nas ocupações das escolas estaduais no Paraná.

Segundo alunos e professores que integram os grupos, não houve debate prévio sobre as manifestações contra a reforma do Ensino Médio. O último balanço aponta que 470 escolas estão ocupadas, além de sete campi de universidades.

Para expor o posicionamento contra as ocupações, os movimentos Patriotas Paraná, Curitiba Contra a Corrupção e Acampamento Praça da Justiça convocaram uma coletiva de imprensa na tarde de sábado (15).

William Rocha destacou os objetivos dos grupos. Ele é um dos representantes dos movimentos.

Ele destacou ainda que os movimentos contrários às ocupações defendem as discussões envolvendo a reforma do Ensino Médio, apresentada pelo governo federal.

A professora Aline Mendes dá aula de química no Colégio Estadual Bento Munhoz da Rocha Neto. Ela conta que foi procurada por alunos que querem a retomada das aulas.

Os movimentos ainda afirmaram que devem encaminhar uma representação contra a APP-Sindicato ao Ministério Público por considerar que o sindicato que representa os professores da Rede Estadual de Ensino estaria incitando as ocupações.

O presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, nega as acusações.

 

1 Comentário

  1. É assim que estamos passando de contribuintes a cidadãos.
    Ouse vc também! Exija seu lugar como cidadão! Políticos são passageiros, bem pagos com os nossos impostos. Se não agirem em prol de uma vida digna para TODOS os brasileiros, estão ocupando um lugar indevido! Só nos resta, exigir a deposição imediata.

Deixe seu comentário