A greve dos policiais civis integra a paralisação dos servidores estaduais, e tinha sido definida em uma assembleia realizada na semana passada pelo sindicato que representa a categoria.

O sindicato inclusive alertou para que todos os policiais comparecessem hoje nas delegacias, para evitar sanções administrativas.

Mas alguns procedimentos estão sendo afetados. Em Curitiba, muitos que foram aos distritos policiais não foram atendidos. Foi o caso de Cristiano Vieira das Chagas. Ele precisava fazer Boletim de Ocorrência para solicitar a segunda via da carteira de trabalho. Voltou pra casa sem atendimento por causa da greve.

Já um homem que se identificou apenas como César precisava realizar um exame de corpo de delito. Como a Polícia Científica não está em greve, já que foi desvinculada da Polícia Civil, ele não foi prejudicado. Mas disse que entende a posição dos policiais, afirmando que, se há algum culpado nesta história, é o poder público.

Os serviços que não estão sendo realizados em delegacias são: Confecção de B.O; Emissão de alvará e atendimento Funesp; Confecção de Carteira de Identidade; Confecção de atestado de antecedentes; Perícia em local de crime; Termo circunstanciado; Oitiva de testemunhas; Cumprimento de ordem de serviço de investigação. Os serviços que até agora não foram afetados são: Deslocamento de policiais a locais de crimes em flagrante como homicídios, latrocínios e desaparecimentos; Flagrante delito e oitivas com a presença da autoridade;  além de audiências de custodia e Cumprimento de mandados de prisão de outras forças policiais. A greve da Polícia Civil atinge delegacias de todo o Paraná.

Repórter Fábio Buchmann

Deixe seu comentário