Foto: divulgação/TCE

Em sessões recentes, o Pleno do Tribunal de Contas do Estado negou recursos e manteve a determinação da devolução de dinheiro desviado na Câmara Municipal de Curitiba, entre os anos de 2006 e 2011.

O retorno de valores tem a ver com o caso de irregularidades em contratos de divulgação e publicidade da casa, que foram inclusive alvo de uma CPI e também de uma auditoria da corte de contas. Nela ficaram comprovadas irregularidades em repasses de R$ 34 milhões realizados pela Câmara às agências Visão Publicidade e Oficina da Notícia,  em contratos assinados pelo ex-vereador João Claudio Derosso, que era o presidente do Legislativo municipal no período.

Esse trabalho de auditoria foi então desmembrado em tomadas de contas extraordinárias, para garantir apuração mais rápida e aprofundada do caso.
Em 57 processos julgados, entre junho de 2015 e abril deste ano, a Primeira Câmara do TCE aplicou sanções que somam quase R$ 74 milhões, entre devolução de recursos e multas, com o objetivo de recompor os cofres públicos.

É essa decisão que os recursos de ex-vereadores, servidores e empresários que foram condenados nos processos tentam reverter, até o momento sem sucesso. Nos últimos dois meses e meio, sete deles foram negados.

A rádio CBN Curitiba não conseguiu contato com o ex-vereador João Cláudio Derosso até o fechamento desta reportagem.

Repórter Cristina Seciuk

1 Comentário

  1. Lugar de político patife é apodrecer no xilindró sem a menor piedade depois de devolver até o último centavo dos recursos desviados além de violenta multa e também ao partido por abrigar político patife. Chega de políticos patifes no poder!.

Deixe seu comentário