Chuva abre buracos em várias Ruas da região central de Curitiba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais uma vez o temporal afetou a rotina dos curitibanos. Foram várias pancadas de chuva ao longo desta terça-feira na capital paranaense.

Milhares de imóveis ficaram sem energia elétrica em bairros como Vista Alegre, Santa Felicidade, São Braz e Mercês. Houve pontos de alagamento.

Em algumas regiões, a força da água foi tão intensa que o asfalto cedeu, abrindo buracos na rua. O fato ocorreu na Rua Vicente Machado, entre as ruas Brigadeiro Franco e Visconde do Rio Branco; na Desembargador Westphalen, entre a Av. Sete de Setembro e a Av. Visconde de Guarapuava, e na própria Visconde de Guarapuava, próximo do cruzamento com a Westphalen.

O local foi sinalizado para que os motoristas visualizassem o buraco. Não foi o suficiente para evitar acidentes e houve um engavetamento pela manhã. Foram três veículos envolvidos.

Não houve feridos, e os danos materiais foram pequenos. Mas os motoristas disseram que a batida foi provocada justamente pela interdição parcial da pista.

Alessandra Gomes é funcionária de um estacionamento localizado na esquina. De acordo com ela, toda vez que chove forte as crateras no asfalto voltam a aparecer.

Diva Hermonese também tem um comércio da Desembargador Westphalen. Ela disse que, dependendo da força da chuva, nem os tampões de ferro da Sanepar suportam.

Dona Diva garante que já viu, mais de uma vez, os objetos saírem voando no meio da água.

Sobre os estragos nas ruas, a prefeitura enviou uma nota de esclarecimento. O texto informa que todos os locais estão sinalizados e a Secretaria Municipal de Obras Públicas está fazendo uma avaliação sobre possíveis danos nas galerias de águas pluviais.

A prefeitura argumenta ainda que com o grande volume de água em pouco tempo, o ritmo de escoamento pode ser afetado, provocando alagamentos de ruas, especialmente na região central, onde o solo é totalmente impermeabilizado pela ocupação urbana, sobrecarregando o sistema de bueiros e galerias pluviais.

A canalização de rios também é um dos motivos para alagamentos, segundo a prefeitura. Os canais subterrâneos originalmente tinham dimensionamento adequado para suportar vazão, mas agora, com a maior impermeabilização da região, aliada a chuvas de forte volume de água em curtos períodos, os rios não conseguem suportar.

A nota é finalizada informando que uma das medidas capazes de amenizar a situação é a construção de bacias de contenção, que armazenam a água temporariamente e fazem a liberação de forma gradual, o que diminui a velocidade de escoamento da água e evita enchentes.

Isso foi feito na região do Rebouças com a construção da bacia na Praça Afonso Botelho, finalizada em 2015. A prefeitura lembrou ainda que no ano de 2013, foram substituídas as galerias na Avenida Vicente Machado, entre Coronel Dulcídio e Desembargado Motta, para dar maior vazão as águas da chuva e evitar alagamentos na Praça da Espanha.

Repórter Fábio Buchmann



Categorias:Cidade

Tags:, , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: