Fechamento do Centro de Convenções de Curitiba preocupa setor turístico do estado

Foto: Arquivo AEN

Foto: Arquivo AEN

Representantes do setor turístico do estado demonstram preocupação com a intenção do governo Richa de encerrar as atividades do Centro de Convenções de Curitiba.

O fechamento do espaço de eventos consta de projeto de lei encaminhado à Assembleia Legislativa.

A proposta define uma reforma administrativa, com foco na redução de despesas e na entrada de novos recursos nos cofres estaduais.

Entre outras medidas, estão elencadas no projeto duas conclusões de processo de extinção: do Banco do Desenvolvimento do Paraná (Badep), que está em liquidação ordinária há 22 anos, e do próprio Centro de Convenções da cidade, que teve seu processo de liquidação iniciado em novembro.

Com o projeto, o governo prevê um impacto positivo de cerca de R$ 175 milhões para o Tesouro estadual, mas provocou críticas por parte do segmento turístico.

O presidente do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes, Jacob Mehl, afirma que a decisão é um golpe para o setor de eventos, essencial nos resultados de diversos outros.

O primeiro anúncio sobre o fechamento do Centro de Convenções de Curitiba foi feito pelo governo do estado há oito meses. Na ocasião, se afirmou que as atividades seriam encerradas até o final do ano e já causara apreensão por parte do empresariado. Em março, mais de uma dezena de representantes de entidades ligadas aos setores turístico, hoteleiro e de alimentação contestaram a medida, que segundo eles foi unilateral e desconsiderava as atividades como importantes para o estado.

Agora, o representante do sindicato do setor fala em falta de incentivo, por culpa de uma certa invisibilidade de resultados dessas atividades.

Segundo o governo do estado, o Centro de Convenções de Curitiba gera R$ 1,8 milhão em despesas a cada ano e tem baixa procura, o que não justificaria a sua manutenção. Ainda segundo o Executivo, o espaço não comporta mais os eventos aos quais se destinaria por falta de infraestrutura ideal, ficando aquém da capacidade de atendimento de empreendimentos privados que estão disponíveis da cidade e que bem atendem a demanda local.

O Centro de Convenções fica na Rua Barão do Rio Branco, no Centro de Curitiba, tem oito mil metros quadrados, construído em 1988.  O governo do estado administra o espaço e é o sócio majoritário, mas não o único responsável pelo local.

A Embratur (ligada ao Ministério do Turismo) também tem participação no centro de convenções, mas afirma que como é acionista minoritária não tem poder de intervir no fechamento.

O Ministério também informou, por meio de nota, que o Paraná é um dos contemplados pelo Plano de Aceleração do Crescimento – o PAC do Turismo, que prevê a construção de um novo centro de convenções. Para a obra, já foram empenhados R$ 50 milhões.

Repórter Cristina Seciuk



Categorias:Paraná

Tags:, , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: