Foto: Arquivo EBC / Blog do Planalto / Flickr / CC
Foto: Arquivo EBC / Blog do Planalto / Flickr / CC

A Polícia Federal decidiu indiciar o ex-presidente Lula, a mulher dele Marisa Letícia, o ex-ministro Antonio Palocci, e mais quatro pessoas, entre elas o advogado de defesa do ex-presidente Roberto Teixeira.

O indiciamento é referente a dois inquéritos: um da compra do terreno onde fica a sede do Instituto Lula e outro envolvendo o aluguel de um apartamento que fica em frente a residência do ex-presidente. A Polícia Federal afirma que há indícios de corrupção e lavagem de dinheiro com propina paga pela Odebrecht. O Ministério Público Federal agora vai analisar a investigação.

O advogado de Lula, que também foi indiciado, divulgou nota em que afirma ser alvo de uma retaliação do delegado da Polícia Federal Márcio Anselmo.

Roberto Teixeira afirma que na semana passada pediu mais prazo em nome da defesa e que o delegado se afastasse das investigações. Os pedidos não foram aceitos. De acordo com a defesa de Lula, o delegado deveria se declarar suspeito por ter xingado o ex-presidente e ainda ter declarado simpatia por adversários políticos.

Nos autos, no entanto, o delegado afirma que os aluguéis em questão eram pagos ao advogado e que ele seria responsável por uma espécie de encontro de contas e despesas.

1 Comentário

  1. Curitiba vai ter o ar poluído com a presença dos canalhas que afundaram o Brasil. De nariz empinado e ar atrevido ainda tem coragem de acenar para seus fãs. E estes ainda tem mais coragem: retribuir na cara dura e na frente de todo mundo.

Deixe seu comentário