Foto: AEN
Foto: AEN

Em entrevista à rádio CBN Curitiba, o governador do Paraná disse que em razão do ajuste fiscal não precisou diminuir os repasses aos outros poderes e reafirmou a necessidade de adiar o pagamento da data-base do funcionalismo.

Beto Richa declarou que não vai penalizar toda a população pra atender “sindicatos insaciáveis” – o chefe do Executivo se refere ao adiamento da reposição inflacionária dos 200 mil servidores estaduais. O pagamento dos R$ 2 bilhões e 100 milhões de reais foi acordado em 2015 durante a greve dos professores e confronto no Centro Cívico.

O Governo alega que em razão da baixa arrecadação e da crise econômica vai pagar apenas as promoções e progressões em atraso – o valor é de R$ 1 bilhão 400 milhões de reais. O reajuste ficaria para metade de 2017 ou início de 2018, mas se a recessão der trégua.

Richa estima que o Paraná terá crescimento nulo no ano que vem.

Apesar da projeção nada otimista , Beto Richa afirmou que pelo ajuste fiscal não precisou diminuir os repasses aos outros poderes.

Em 2017 , Tribunal de Justiça, Ministério Público, Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas vão receber R$ 4 bilhões 605 milhões.

 

Repórter Andressa Tavares

Deixe seu comentário