Onibus

 

Motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e da Região Metropolitana já retomaram as atividades. Na manhã desta quarta feira (21), os trabalhadores anunciaram greve do transporte coletivo diante do atraso do pagamento da segunda parcela do 13º salário e do vale. O sindicato patronal exigia o repasse de dinheiro às empresas do transporte coletivo por parte da URBS.

Depois de uma assembleia realizada, no final da manhã, todas as linhas de ônibus voltaram a funcionar na Grande Curitiba. No entanto, os motoristas e cobradores estão trabalhando em “estado de greve” e caso as pendências não sejam pagas, vai haver uma nova paralisação.

Em nota, o Sindicato das Empresas de Ônibus (Setransp) disse que tentou, por vários dias, alertar sobre as consequências dos atrasos nos repasses por parte da Urbanização de Curitiba (Urbs). O sindicato patronal afirma que o débito até a última terça-feira (13) estava na ordem de R$ 3,8 milhões – montante acumulado desde o último dia 14 deste mês.

Por outro lado, a prefeitura informa em nota, que começa, ainda nesta quarta-feira, a regularização dos repasses das parcelas em atraso. Segundo o município, o atraso ocorreu devido à falta de recursos em caixa provocada pela redução nas vendas de crédito transporte, o que está diretamente ligado aos índices de desemprego. A empresa gestora do transporte coletivo de Curitiba reforça que já pagou às empresas cerca de R$ 20 milhões, desde fevereiro, na tarifa técnica especificamente para cobrir os custos do 13º salário.

 

 Repórter: Flávio Krüger. 

 

Deixe seu comentário