Foto: Divulgação/Hospital Evangélico
Foto: Divulgação/Hospital Evangélico
Foto: Divulgação/Hospital Evangélico

Os hospitais públicos de Curitiba acusam a Prefeitura de ainda não ter repassado a verba mensal do SUS. Com o atraso no pagamento, as instituições enfrentam dificuldades para quitar a folha salarial e manter todos os serviços em funcionamento. A Prefeitura negou o atraso e disse que está cumprindo o prazo legal para repassar o dinheiro.

O repasse deveria ter sido feito no início do mês, segundo a Femipa, a Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Paraná. Mas o próprio Ministério da Saúde atrasou o pagamento à Prefeitura de Curitiba. O dinheiro só teria caído na conta da administração municipal, segundo o presidente da Femipa, Flaviano Ventorim, por volta do dia 22 – mas até agora, nenhum hospital recebeu o repasse da Prefeitura.

Com o atraso no recebimento do dinheiro, os hospitais enfrentam dificuldades para quitar a folha salarial e até para manter em funcionamento todos os serviços do SUS.

A situação preocupa ainda mais porque a Prefeitura está em recesso e hoje é o último dia de funcionamento dos bancos, afirmou Flaviano Ventorim. Além disso, há troca na gestão municipal a partir de primeiro de janeiro, o que pode atrasar ainda mais o repasse.

A Prefeitura de Curitiba informou, por meio de nota, que não há atraso nos pagamentos do Fundo Municipal de Saúde, relacionados aos repasses recebidos do Ministério da Saúde. A Prefeitura disse que só recebeu o dinheiro no dia 26.

Como o repasse deve ser feito em até cinco dias úteis, não haveria atrasos, pois o prazo legal está sendo respeitado. Segundo a Prefeitura, não há como repassar as verbas aos hospitais sem cumprir todos os procedimentos.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário