Foto: Reprodução Facebook Goleiro de Aluguel
Foto: Reprodução Facebook Goleiro de Aluguel

Para cada problema, uma solução: foi assim que começou a empresa do Samuel Toaldo. Ele resolveu criar uma ponte entre times de futebol desfalcados e um cobiçado goleiro para aquelas partidas entre amigos que perigam não sair por falta do homem das traves.

Toaldo viu a ideia ganhar corpo e clientela. De goleiro titular, passou a fundador e CEO da Goleiro de Aluguel.

Atualmente são mais de seis mil jogadores cadastrados e seiscentas partidas realizadas a cada mês nas mais diversas cidades. As campeãs em escalações são Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, São Paulo e Rio.

Segundo Samuel com a evolução do serviço o potencial do aplicativo ficou muito mais evidente.

Com todo esse conhecimento de mercado e os números favoráveis, surgiu a oportunidade de apresentar a start-up a grandes investidores, no programa de tevê Shark Tank Brasil. Samuel e o sócio Eugen Braun fecharam negócio com dois grandes: os fundadores da BR Sports e da Polishop. O aporte acordado é de R$ 250 mil, mas Samuel garante: a conquista dos novos sócios vai muito além do dinheiro.

E o Goleiro de Aluguel também vai mais longe do que o simples serviço oferecido pelo aplicativo. Desde o começo a busca era por muito mais que um jogo.

Cinco por cento do valor pago por cada partida vai para ações sociais. O recurso atende duzentas crianças, com um projeto que cruzou o Atlântico e chegou até Mali, um dos países mais pobres da África.

 Para contratar um Goleiro de Aluguel é só baixar o aplicativo, disponível para Android e IOS. As contratações por partida variam dos R$ 30 aos R$ 60.

Repórter Cristina Seciuk

Deixe seu comentário