O evento, que seria realizado agora em janeiro, foi adiado ainda em dezembro em função da situação financeira da Prefeitura.

Um grupo de trabalho foi constituído para organizar a 35ª edição do Festival. Ainda de acordo com a Prefeitura, todos os professores convidados e os alunos inscritos para a edição que iria ocorrer agora em janeiro já foram comunicados sobre o cancelamento.

O valor da inscrição – R$ 100 – já está sendo devolvido, ainda conforme a gestão municipal. O cancelamento da edição em janeiro foi motivo de polêmica assim que o prefeito Rafael Greca anunciou o adiamento, antes de tomar posse.

No entendimento de Greca, há outras prioridades. Na época, o presidente do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Marino Junior, responsável pela realização do evento, informou que a organização promoveu uma série de cortes.

Os custos do evento caíram de aproximadamente R$ 2,6 milhões iniciais para R$ 1,7 milhão. O grupo de trabalho criado pela atual gestão para organizar o festival no segundo semestre é composto por integrantes da Fundação Cultural de Curitiba e ainda pela coordenação artística do evento. O presidente do Instituto Curitiba de Arte e Cultura também integra o grupo.

No entanto, há um movimento em redes sociais, liderado por integrantes do Coral da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) para que a Oficina seja realizada ainda em janeiro. Foi criado um abaixo assinado virtual. O objetivo é conseguir 5 mil assinaturas. Até a tarde desta quinta-feira, eram pouco mais de 2580.

Repórter Fábio Buchmann

Deixe seu comentário