Foto: Irene Roiko/Arquivo CMC
Ver. João Claudio Derosso Foto: Irene Roiko / Arquivo CMC
Foto: Irene Roiko / Arquivo CMC

O ex-presidente da Câmara Municipal de Curitiba, João Claudio Derosso, está impedido de assumir cargos comissionados ou exercer funções de confiança na administração pública paranaense até 2021.

A punição é resultado de uma definição do TCE, que declarou o ex-vereador como inidôneo a partir de processos que comprovaram desvios e irregularidades no uso de R$ 34 milhões destinados à publicidade institucional do legislativo curitibano entre os anos de 2006 e 2011, período durante o qual Derosso comandava a casa.

Além dele, outras quatro pessoas, todos empresários da área de comunicação também receberam a mesma sanção. São pessoas que à época eram ligadas às empresas Visão Publicidade e Oficina da Notícia, para as quais os recursos foram repassados sem comprovação da realização dos serviços contratados.

A definição, de que essas pessoas não podem ser empossados em cargos em comissão ou em funções na administração, foi comunicada à atual presidência da Câmara, também à prefeitura de Curitiba, à secretaria de estado da administração e ao Ministério Público do Paraná.

A declaração de inidoneidade e inabilitação para cargos comissionados no serviço público consta da Lei Orgânica do TCE e resulta de três processos de tomadas de contas que tiveram trânsito em julgado em dezembro passado (ou seja, não cabe mais recurso).

A reportagem tentou contato, mas não conseguiu localizar o ex-presidente da Câmara Municipal.

 

Repórter Cristina Seciuk

Deixe seu comentário