Protesto contra aumento da tarifa termina em violência e vandalismo

Este slideshow necessita de JavaScript.

A manifestação chamada de “R$ 4,25 eu não aceito” reuniu cerca de mil pessoas, segundo os organizadores. A concentração do ato começou por volta das 18h30, na Praça 19 de Dezembro, no Centro de Curitiba.  Participaram vários movimentos sociais e lideranças políticas.

O ato aconteceu no dia em que começou a valer o aumento de R$ 0,55 da tarifa. A passagem foi de R$ 3,70 para R$ 4,25. O reajuste de 15% revoltou os usuários do transporte. A principal crítica dos manifestantes é a falta de transparência da prefeitura na definição da tarifa.

Da Praça 19 de Dezembro, os manifestantes iniciaram uma passeata rumo à sede da Urbs, na rodoviária de Curitiba. O movimento passou pela Avenida Cândido de Abreu e seguiu pela Marechal Deodoro.

Quando o protesto passava pela Rua João Negrão, um grupo de manifestantes mascarados começou a pichar e a apedrejar fachadas da região. Pelo menos três agências bancárias foram alvo dos vândalos.

Nesta terça feira, a agência do Itaú da João Negrão não abriu. O banco fica na quadra entre a Visconde de Guarapuava e a Sete de Setembro e estava com as portas de metal abaixadas. O vidro foi quebrado na noite desta segunda feira.

Em frente ao Itaú, a fachada do Bradesco também denuncia o vandalismo. O vidro trincado pelas pedras está preso apenas pelo insulfilm que cobre a fachada. Vídeos registrados pela prefeitura e por manifestantes registraram a quebradeira.

A polícia militar interveio e disparou balas de borracha e bombas de efeito moral contra os manifestantes. Várias pessoas ficaram feridas.

Uma cobradora que trabalhava na Estação Tubo Praça Carlos Gomes chegou a ser agredida por manifestantes e foi socorrida pelo Siate. A catraca e o leitor de cartão foram danificados e precisaram ser substituídos pela Urbs durante a madrugada. Ônibus foram pichados e tiveram que ser tirados de circulação para limpeza.

Em nota, a Urbs lamentou os atos de vandalismo e afirmou que entende e aceita o valor democrático das manifestações, mas considera vandalismo o que  aconteceu ontem.

Os manifestantes afirmam que pelo menos onze pessoas foram detidas. De acordo com a Polícia Militar, oito pessoas foram encaminhadas à delegacia. Sete eram adultos e foram levados para o 1º Distrito Policial. Um adolescente foi levado para a Delegacia do Adolescente. Dos envolvidos três foram em flagrante e quatro assinaram um Termo Circunstanciado e foram liberados. Materiais usados na depredação do patrimônio também foram apreendidos.

A corporação afirma que assegurou o direito das pessoas se manifestaram. No entanto, alguns manifestantes mascarados começaram a vandalizar o patrimônio. Neste momento, segundo a PM, a ação dos vândalos colocou em risco a integridade física de quem passava pelo local e a polícia precisou intervir.

 

Repórter Ana Krüger



Categorias:Cidade, Geral, Polícia

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: