Sérgio Moro nega pedido de liberdade feito pela defesa de Eduardo Cunha

cunha-2

O juiz Sérgio Moro negou o pedido do ex-deputado Eduardo Cunha para que fosse revogada a prisão preventiva dele. A decisão foi comunicada em um despacho de Moro publicado na tarde desta sexta-feira.

A Defesa de Cunha pediu à Justiça a revogação da prisão preventiva de Eduardo Cunha ou a substituição por medidas cautelares alternativas, com entrega de passaportes. Os advogados de Cunha alegam basicamente que as investigações e a instrução processual já se encerraram e que todo o patrimônio do acusado já foi identificado. Também alega a defesa que Cunha não mais exerce cargo público, enquanto que a prisão já se estende por quase quatro meses. Nenhum desses argumentos, no entanto, foi aceito pelo juiz Sérgio Moro.

No despacho, Moro diz que não há causa para a revogação da preventiva de Eduardo Cunha. O juiz diz que a prisão deve ser mantida, pelo menos, até julgamento da ação penal, o que deve ocorrer em breve, já que já está se caminhando para a etapa conhecida como alegações finais. No caso de eventual condenação, analisarei novamente, diz Moro.

O ex-deputado está preso desde outubro de 2016, preventivamente, em Curitiba. O peemedebista é acusado de ter recebido R$ 5 milhões em propinas em um negócios de compra de campos de exploração de petróleo, em Benin,

Ainda no despacho, Moro lembra que o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, negou seguimento a um habeas corpus impetrado em favor do acusado Eduardo Cunha.

Moro diz ainda que o Ministro Teori Zavascki teve não uma, mas duas oportunidades para cassar a prisão preventiva decretada por ele Juízo, e não o fez.

O juiz Sérgio Moro ainda faz uma homenagem ao ministro Teori, morto no acidente aéreo de janeiro. Diz Moro: “na esteira do posicionamento do eminente e saudoso Ministro Teori Zavascki, não será este Juízo que, revogando a preventiva de Eduardo Cunha, trairá o legado de seriedade e de independência judicial por ele arduamente construído na condução dos processos da Operação Lavajato no âmbito Supremo Tribunal Federal”



Categorias:Lava Jato

Tags:,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: