Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, desistiu de interrogar a ex-presidente Dilma Rousseff como testemunha de defesa numa ação penal relacionada à 35ª fase da operação Lava Jato. O depoimento da petista já estava marcado para a próxima sexta-feira (24), por videoconferência com Porto Alegre.

O motivo da desistência não foi esclarecido pela defesa de Marcelo Odebrecht. Essa seria a primeira vez que Dilma Rousseff prestaria depoimento ao juiz Sérgio Moro. Apesar disso, mais audiências com testemunhas de defesa serão realizadas ao longo da semana na Justiça Federal do Paraná. Nesta terça-feira, devem ser ouvidos os deputados Miro Teixeira, da REDE, Paulo Teixeira e Carlos Zarattini, ambos do PT, além do senador Jorge Viana, do PT.

O processo em questão trata de pagamentos de propina da Odebrecht ao ex-ministro Antônio Palocci, preso em Curitiba há seis meses e denunciado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. O valor dos repasses chega a R$ 150 milhões, segundo a denúncia. Os depoimentos de defesa seguem até o final do mês. Em abril, os 14 réus serão interrogados pelo juiz Sérgio Moro.

Marcelo Odebrecht será ouvido no dia 10 de abril. Ele falará pela primeira vez ao juiz na condição de delator da Lava Jato. O depoimento de Palocci será o último, marcado para 19 de abril.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário