Foto: EBC
lula-foto-ebc
Foto: EBC

Começam nesta quinta-feira os depoimentos dos réus de uma ação penal contra o ex-presidente Lula. O juiz Sérgio Moro vai interrogar, ao longo da tarde, dois ex-executivos da OAS: Léo Pinheiro, que foi presidente da empresa, e Agenor Magalhães. O processo apura se a OAS pagou favores a Lula com dinheiro desviado da Petrobras.

Segundo a denúncia, R$ 3,7 milhões foram destinados à compra e à reforma de um tríplex no Guarajuá, que seria de Lula, além do armazenamento de bens retirados do Palácio do Planalto ao final do segundo mandato do ex-presidente. A defesa nega as acusações. Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, os advogados do petista apresentaram documentos que indicariam que o tríplex pertence à OAS e não à família de Lula.

O ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro tinha, segundo as investigações, uma relação próxima e de amizade com Lula. Ele está preso há sete meses e já foi condenado na Lava Jato a mais de 30 anos de prisão por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Há quase um ano, o executivo tenta fechar um acordo de delação premiada. Nos bastidores, circula a informação de que a negociação com a Procuradoria Geral da República está avançando.

Os réus desta ação penal continuam a ser ouvidos pelo juiz Sérgio Moro na semana que vem, mas o principal depoimento é o do próprio Lula, marcado para o dia 03 de maio.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe seu comentário