25 pessoas suspeitas de envolvimento de desvios de dinheiro da Universidade Federal do Paraná foram soltas pela Justiça. A decisão desta sexta feira (17) é do juiz federal, Marcos Josegrei da Silva, responsável pelo caso.

As prisões temporárias iriam vencer no domingo, no entanto, como os investigados já prestaram todos os esclarecimentos à polícia foram liberados. Todos seguem como investigados e podem ter que prestar novos esclarecimentos à Justiça.

No mesmo despacho, o juiz pediu a prorrogação da prisão temporária de duas funcionárias da UFPR presas na operação. São elas: a secretária da pró-reitoria de Planejamento e Orçamento, Tânia Márcia Catapan, e a chefe do setor de Orçamento e Finanças, Conceição Abadia de Abreu Mendonça.

O esquema é investigado pela Operação Research deflagrada na última quarta feira (15) que decretou a prisão temporária de 29 pessoas. Entre os presos estão duas funcionárias da instituição. Os outros 27 seriam pessoas usadas como “laranja” que cederam as contas para o recebimento do dinheiro desviado.

As investigações apontam que um total de R$ 7,3 milhões foi desviado da instituição. Os repasses foram feitos como bolsas de estudo e de pesquisa, mas foram destinados a pessoas que não tinham relação com a universidade. Algumas sequer tinham ensino superior.

Repórter: Ana Krüger. 

Deixe uma mensagem