Foto: Daniel Castellano / SMCS

Mais de 29 mil mulheres já foram atendidas na Casa da Mulher Brasileira (CMB) de Curitiba, desde junho de 2016. Na grande maioria, procuram a Casa mulheres que sofreram algum tipo de violência, seja física, psicológica, sexual, patrimonial ou moral.

No local, são oferecidos serviços que auxiliam as mulheres a saírem dessa situação, como escuta qualificada, alojamento de passagem para a família, Juizado, Ministério Público e Defensoria Pública.

A coordenadora-geral da Casa da Mulher Brasileira, Sandra Praddo, explica que a mulher que procura pelo atendimento, geralmente o faz com medo, até pelo fato de não receber apoio da própria família, pois, na grande maioria, a violência começa dentro de casa.

A coordenadora lembra ainda que, caso o serviço não seja disponibilizado no local, a Casa tem meios para não deixar a mulher desamparada.

Nos primeiros dois meses do ano, foram realizados 2.150 atendimentos de mulheres que foram vítimas de algum tipo de violência em Curitiba e a grande maioria, foi de atendimentos de violência física.

Sandra Praddo ressalta que o principal motivo para que uma mulher não deixe o agressor é a falta de recursos financeiros, por isso, a Casa capacita e orienta aquelas que querem uma colocação no mercado de trabalho.

O acolhimento, triagem e apoio psicossocial da Casa funcionam 24 horas, durante todos os dias do ano. A Casa da Mulher Brasileira fica na Avenida Paraná, 870, no bairro Cabral. O telefone de contato é o 3221-2701.

Repórter William Bittar