Foto: Pixabay

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) enviou um ofício nesta quarta-feira (12), à Secretaria de Estado da Segurança Pública, pedindo que não seja decretada a lei seca nas eleições de outubro deste ano.

A Abrabar solicita que não tenha resolução ou portaria da Sesp, que imponha a proibição da comercialização, distribuição e consumo de bebidas alcoólicas, por um período de 24 horas, no dia 07 de outubro, quando será o primeiro turno das eleições.

A associação argumenta que a proibição não está mais sendo aplicada em vários estados do Brasil e que a lei seca pode prejudicar o setor de turismo que recebe visitantes internacionais, como é o caso de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, por exemplo.

Na solicitação, a Abrabar pede que a venda e o consumo de bebidas sejam liberados em todo o Paraná, mas ressalta que em algumas cidades, se as autoridades de segurança entenderem haver a possibilidade de conflitos, que a lei seca seja aplicada somente no horário da votação, entre as 08h e as 17h.

Na eleição de 2016, a Sesp determinou a lei seca entre as 6h e as 18h do dia da eleição, mas a Abrabar conseguiu uma liminar na justiça derrubando a resolução.

Repórter Karina Bernardi

Deixe seu comentário