Foto: Divulgação

O motorista que atropelou e matou um policial militar na noite do último sábado (13), na Alameda Arpo, no Jardim Cruzeiro, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, se apresentou na delegacia na tarde desta segunda-feira (16), mas saiu sem prestar depoimento.

Joel Bin, de 44 anos, chegou acompanhado de dois advogados e não falou com a imprensa. O advogado que representa o motorista, Maurício Zampieri, afirmou que o cliente não percebeu que atropelou uma pessoa.

Zampieri também frisou que Joel Bin não tem nenhum antecedente criminal e que é uma pessoa de bem. Ele fugiu de casa antes da chegada de uma equipe policial, por medo.

O advogado também revelou que o cliente costuma tomar algumas cervejas, mas não estaria embriagado no momento do acidente e cochilou por conta do uso de remédios controlados.

O policial militar Lucas Raffael Gasparin Brandt, de 29 anos, estava saindo do batalhão onde trabalhava quando o caminhão invadiu a pista contrária da via e atingiu a moto do PM.

Imagens de câmeras de segurança da região registraram o momento exato do acidente.

Antes de atropelar o policial militar, o motorista do caminhão quase bateu em um trailer que conseguiu desviar da colisão. Em seguida, o motociclista também tenta desviar, mas é atingido.

O motorista fugiu sem prestar socorro e o caminhão foi encontrado pela Polícia Militar horas depois.

Repórter William Bittar