Foto: Vanessa Fernandes

O Policial Rodoviário Federal Maximiliano Silva relata que a viatura que seguia pela Linha Verde estava com as luzes e sirenes ligadas no momento do acidente.

Uma viatura do 20º Batalhão da Polícia Militar seguia pela Linha Verde (BR- 476) sentido Atuba na tarde desta terça-feira (31) quando um andarilho atravessou a via na altura da Avenida Comendador Franco. Na tentativa de evitar a colisão com o pedestre a viatura desviou, atingiu o canteiro e em seguida atropelou pelo menos quatro pessoas que estavam em um ponto de ônibus.

A viatura só parou após colidir com outros quatro veículos que vinham pela Linha Verde em sentido contrário, e aguardavam a abertura do semáforo.

Um dos motoristas dos carros atingidos que preferiu não se identificar contou como aconteceu o acidente.

O Policial Rodoviário Federal Maximiliano Silva relata que a viatura que seguia pela Linha Verde estava com as luzes e sirenes ligadas no momento do acidente.

O acidente, que aconteceu por volta das 15hs, teve seis vítimas. Duas pessoas  morreram no local, duas mulheres com 29 e 67 anos. Uma outra mulher ferida  foi encaminhada ao Hospital do Trabalhador, outra ferida gravemente foi levada pelo helicóptero da Polícia Militar ao Hospital Cajuru. Os dois policiais que estavam na viatura tiveram ferimentos leves.

— Repórter Vanessa Fernandes

9 % comentários

  1. Tá certo que o andarilho estava errado ao cruzar em local proibido, mas tb foi imperícia do motorista da viatura. Policial motorista que dirige em condição extrema frequentemente deveria ter mais treinamento e pericia pra saber que não se faz manobra brusca com velocidade, se alguém tinha que sofrer acidente tinha que ser o pedestre que assumiu o risco de atravessar em local improprio.

  2. Comentário altamente preconceituoso e fora do foco real que em nada contribui para a melhoria do trânsito nesta capital, tem que se avaliar todos os aspectos inclusive se a velocidade da viatura era a permitida para aquele ponto bem como se o ponto de ônibus está devidamente localizado e se foi bem planejado pelo dpto. competente para não por em risco a vida das pessoas, verifica-se que o local é de alto fluxo de veículos nos dois sentidos da BR onde sequer há uma passarela para a travessia de pedestres.
    Curitiba está longe de ser um modelo a ser copiado pelo país, sua estrutura é arcaica para a proporção de uma metrópole onde sequer tem um sistema de trasporte público renovado não possuindo ainda um metrô.
    Há de se avaliar também a competência da polícia através da condução da viatúra pois se o condutor é devidamente treinado para perseguições dentro da zona urbana como pode ter perdido sumariamente o controle com a presença de um transeunte no local.
    Enfim.
    Nunca poderemos evoluir estando com a mente no passado e sem enxergar os problemas como de fato o são.
    É lamentável que pessoas tenham que morrer para que algo mude de concreto.

  3. O pior é ler um comentário besta desse . Passa a placa do pedestre pra que seja feita a multa .acho que seu planeta não é esse .

  4. ” A maioria da população já não é mais de Curitiba… outros Estados onde tudo é bagunçado…” que comentário mais infeliz. Com esse sobrenome deve ser daquela turma que quer raça pura…

  5. Os fiscais da URBS tem que multar as pessoas que atravessam no meio da rua sem olhar para nada. Se o motorista é multado até por coçar a cabeça, que tremenda injustiça os guardas não abrirem a boca para nada para com os pedestres. Mesmo no centro, em qualquer lugar, se atravessa de qualquer jeito pondo em risco a vida de todos. A maioria da população já não é mais de Curitiba. São pessoas vindas de outros Estados onde tudo é bagunçado. Vai afrouxando e relaxando no jeitinho brasileiro e aí temos….uma tragédia feia. Quatro Inocentes morreram por causa de um andarilho?! E os guardas de trânsito não tem boca?!

Deixe uma mensagem