Foto: William Bittar

Ficou definido que acampamento montado por apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no entorno da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, deverá ser desmontado até às 18h desta terça-feira (17). O acordo foi selado em uma reunião entre a Secretaria da Segurança Pública do Paraná, representantes dos movimentos sociais, da prefeitura da capital paranaense e do Ministério Público.

Segundo o secretário Julio Reis, o direito de manifestação segue respeitado, mas a retirada das estruturas pretende assegurar também a normalidade para os moradores do bairro.

O documento firma que os apoiadores de Lula poderão reerguer acampamento em outro local da cidade: o Parque Atuba, que fica aproximadamente três quilômetros de distância da Polícia Federal, ou um terreno de responsabilidade dos próprios manifestantes. Por meio do Twitter, a senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, disse que o movimento não irá para o Parque Atuba. Em entrevista coletiva, o senador Lindbergh Farias reforçou o afirmado por Gleisi.

De acordo com o secretário de segurança pública, o objetivo do acordo é garantir o cumprimento integral do interdito proibitório concedido na semana passada para que não houvesse acampamentos em ruas ou praças da cidade. Com isso, a multa diária estipulada pela Justiça do Paraná na última sexta-feira (13), de R$ 500 mil para os manifestantes que ocuparem o entorno da Polícia Federal será retirada.

No local atual do acampamento está autorizada a permanência de apenas quatro tendas para assegurar a estrutura necessária para atos políticos, respeitando a liberdade de manifestação. Os militantes podem participar da programação no entorno da PF durante o dia, mas não poderão pernoitar ou usar refeitórios no local. Em nota no fim da tarde desta segunda-feira, o movimento confirmou a saída das tendas, mas informou que ainda não decidiu se irão para o parque ou um terreno a 800 metros da área atual.

Repórter Francielly Azevedo

 

Deixe uma mensagem