acusados-morte-torcedor-do-parana-vao-a-juri-popular
Foto: Colaboração
Terrazza Panorâmico

Os três torcedores do Athletico, acusados de matar o torcedor do Paraná Clube, Diego Henrique Raab Gonciero, de 16 anos, vão à júri popular nesta quinta-feira (11), no Tribunal do Júri, em Curitiba. Respondem pelo crime Juliano Rodrigues, Fábio Marques e Gilson da Silva Teles, que na época eram ligados à torcida atleticana Os Fanáticos. Os dos primeiros chegaram a ser presidentes da instituição.

Diego foi morto em 2012, em frente à sede da organizada paranista Fúria Independente, ele era integrante da bateria da torcida e foi vítima de um tiro no rosto. Os autores estavam em um carro e dispararam contra os integrantes e depois fugiram. Juliano Rodrigues, na época era presidente da torcida organizada Os Fanáticos.

Segundo a Delegacia de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe), o laudo do Instituto de Criminalística apontou que o disparo partiu de um revólver calibre 38 registrado em nome de Rodrigues. A defesa do acusado alega que o revólver foi alvo de uma perícia suspeita.

De acordo com o advogado, Claudio Dalledone, que defende os três réus, a acusação foi construída com base em falsas perícias. Além disso, para contrapor a acusação, a defesa trará em plenário um perito em balística da Polícia Federal, que segundo os defensores, colocará por terra os elementos acusatórios.

Repórter Francielly Azevedo