Engana-se quem pensa que a limpeza dos rios e afluentes é obrigação apenas do poder público. A responsabilidade é compartilhada e cada um precisa fazer sua parte para que o lixo que sai de nossas casas tenha a destinação certa.

Ligar corretamente a rede de esgoto e saber destinar os resíduos sólidos para locais adequados são funções exclusivas de cada morador.

Os poderes públicos cuidam da destinação final do lixo e do tratamento do esgoto, além de orientar a população sobre os cuidados diários com os córregos e rios.

A secretária municipal de Meio Ambiente de Curitiba, Marilza do Carmo Oliveira Dias, lembra que o trabalho está sendo feito, mas é preciso que as pessoas se sensibilizem com a situação dos rios que cruzam a cidade.

E não é apenas em casa que cada um precisa fazer a sua parte. O lixo acumulado no Centro de Curitiba também gera preocupação, pois, sem a destinação correta, ele vai parar nos bueiros e o problema fica ainda maior.

Já a Prefeitura de Curitiba mobiliza agentes de várias secretarias para levar à população todas as informações necessárias para que os rios e afluentes se mantenham limpos. Marilza Dias lembra que pequenas ações podem fazer a diferença lá na frente.

No Rio Vila Formosa, por exemplo, mesmo com as últimas chuvas intensas, a população não precisou deixas seus lares. Graças ao projeto Amigo dos Rios, desde fevereiro, 1.050 metros do canal estão passando por um trabalho de desassoreamento o que garantiu noites tranquilas para a população.

Repórter William Bittar