Foto: Sandro Nascimento/Alep

Aliados do ex-governador Beto Richa saíram em defesa dele na sessão desta terça-feira da Assembleia Legislativa do Paraná. E o teor das defesas foi principalmente de ataque a delatores e ao próprio instituto da delação premiada.

Lembrando: o telejornal Paraná TV, da RPCTV, mostrou nesta semana trechos de um depoimento do delator da Operação Quadro Negro, o empresário Eduardo Lopes de Souza, dizendo que dinheiro desviado das obras das escolas teria sido desviado para Richa e familiares, fato que é negado pelo ex-governador.

A defesa de Richa no Legislativo foi feita pelo ex-líder do Governo na administração anterior, deputado Luiz Cláudio Romanelli, do PSB.

Fazendo coro com outros políticos no país, Romanelli cobrou provas das acusações feitas pelo delator.

Também houve críticas para a imprensa e até para o Ministério Público.

Na sequencia, a defesa do ex-governador e também uma espécie de solidariedade ao discurso do deputado Romanelli foi feita pelo deputado Nelson Justus, do Democratas.

O deputado Justus deu a entender também que o procedimento investigado na Quadro Negro – fraudes nas medições de obras para obtenção de dinheiro referente à obra quase completa – já acontecia há tempos aqui no estado.

Nelson Justus era o presidente da Assembleia Legislativa durante o escândalo dos Diários Secretos. Ele lembrou do processo durante esse discurso e disse que nada foi provado contra ele.

Lembrando que, sobre as denúncias do delator da Quadro Negro, o ex-governador Beto Richa disse à RPCTV, em nota, que são falsas as informações prestadas por um criminoso confesso que não tem fundamentos ou provas. O ex-governador também defendeu que foi ele, quando no cargo, quem determinou as investigações da Quadro Negro.

Deixe seu comentário