Foto: Daniel Castellano / SMCS

Nesta sexta-feira (22), a prefeitura de Curitiba anunciou o reajuste da tarifa do transporte coletivo da cidade de R$ 4,25 para R$ 4,50. O valor passa a valer a partir da próxima quinta-feira (28).

Segundo a Urbanização de Curitiba (Urbs), a tarifa técnica, que é o valor que o poder público repassa para as empresas que operam o transporte, deve chegar a R$ 5,20. Mesmo tendo que cobrir um buraco de 70 centavos por passageiro, o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, garantiu que não haverá novos reajustes para os usuários do transporte coletivo até fevereiro de 2020.

Com o aumento da passagem, a diferença entre as tarifas técnica e social ficará em 24 centavos, o que, segundo a Urbs, representa um déficit de R$ 4 milhões ao mês e R$ 48 milhões ao ano.

A Prefeitura vai subsidiar parte do custo com as empresas de transporte com a aplicação de R$ 50 milhões. Já o subsídio do Governo do Estado será de R$ 150 milhões.

Segundo Ogeny, isso vai possibilitar a integração do transporte de Curitiba com a Região Metropolitana.

O presidente da Urbs disse que a passagem já ficou congelada por um bom tempo, sendo inevitável segurá-la ainda mais.

Questionado sobre o comparativo do aumento da tarifa com o valor do salário mínimo, Ogeny explicou.

A rede transporta um milhão e trezentos mil passageiros por dia, só a metade paga, o restante são gratuidades.

Repórteres Francielly Azevedo e Cristina Seciuk