apos-incendio-terreiro-de-umbanda-e-invadido
Foto: Acervo pessoal
Terrazza Panorâmico

Após um mês de um incêndio que destruiu um terreiro de Umbanda, no bairro Santa Quitéria, em Curitiba, o mesmo lugar foi alvo de um novo ataque. Na madrugada deste domingo (9), bandidos invadiram o local e levaram os materiais que foram arrecadados para a reconstrução do terreiro.

Segundo o diretor do Terreiro das Marias, Cleverson Jorge Gaier, foram levados materiais de construção, limpeza, fios elétricos e até o forno. Ele lamenta mais um caso envolvendo, segundo ele, a intolerância religiosa na cidade.

A invasão ao terreiro aconteceu dois dias depois que uma audiência pública discutiu o tema na Câmara Municipal de Curitiba (CMC).

Na última sexta-feira (6), o evento contou com a presença de líderes de diversas denominações religiosas, além de representantes do poder público.

A reunião foi promovida pelo vereador Euler (PSD) e aconteceu justamente a partir de diversos ataques feitos especialmente a religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé, como os casos em que terreiros foram incendiados esse ano, em Curitiba.

Na manhã desta segunda-feira (9), o vereador ressaltou a necessidade da criação de políticas públicas para tratar o assunto.

Euler também citou a possibilidade de discussão do tema nas escolas, como propósito de respeitar as mais diferentes escolhas, raças e religiões.

Em Curitiba, o Disque 100 recebe denúncias de injúria e racismo contra a população negra, violações contra comunidades quilombolas, contra população cigana, de intolerância religiosa e outras denúncias relacionadas a religiões de matriz africana.

Repórter William Bittar