Foto: Divulgação/Alep
Terrazza Panorâmico

Foi adiada para terça-feira (4) da próxima semana, a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da JMK na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

A reunião estava marcada para a tarde desta quarta-feira (29) quando seriam escolhidos o presidente e o relator da comissão. A abertura da CPI foi solicitada pelo deputado Soldado Fruet (Pros) e endossada por outros 21 parlamentares.

A empresa JMK foi alvo da operação “Peça Chave” da polícia civil nesta semana e é responsável pela manutenção dos veículos da frota do Estado.

O deputado Soldado Fruet já havia pedido abertura de CPI no início de abril, antes mesmo da operação ser deflagrada. Segundo o parlamentar, o que motivou pedir a abertura da CPI foi sua experiência como policial militar que em diferentes situações teve de fazer a manutenção da viatura que utilizava com recursos próprios para não ficar sem locomoção.

A comissão deverá analisar os contratos administrativos e seus aditivos, editais de licitação, extrato de pagamentos do estado com a empresa JMK, bem como os pagamentos realizados pela JMK às empresas credenciadas para prestação dos serviços.

Foram indicados para a Comissão 22 deputados, sendo 11 titulares e 11 suplentes.

Na operação Peça Chave, a Polícia Civil expediu 15 mandados de prisão temporária e 29 de busca e apreensão contra pessoas ligadas à JMK. De acordo com a polícia, o esquema teria lesado os cofres públicos em mais de R$ 125 milhões. A atuação dos criminosos envolvia a falsificação e adulteração nos orçamentos de oficinas mecânicas, aumentando o valor do serviço prestado e provocando superfaturamentos que chegariam a 2450%, segundo as investigações da Polícia Civil.

Em nota a JMK nega as acusações e diz que o sistema que implantou no governo do Paraná conta com transparência e economia, o que, para a empresa, “contrariaria interesses que estavam estabelecidos antes da assinatura do contrato”.

A CPI da Assembleia Legislativa tem um prazo de 120 dias para realização dos trabalhos. Ao final do prazo, a comissão pretende apresentar um relatório com as principais constatações e sugestões para resolver a situação denunciada.

Repórter Vanessa Fernandes