Invicto há quatro jogos, o Rio Branco chega às semifinais do segundo turno do Campeonato Paranaense apostando em um atacante emprestado pela Chapecoense. Wellissol, de 21 anos, se destaca pela facilidade no drible, pela velocidade no lado esquerdo e pelas cobranças de falta. “Ele só precisa ter um pouco mais de espírito coletivo, mas é muito bom jogador”, elogia Nello Morlotti, presidente do clube parnanguara, repetindo um coro da torcida, que considera “fominha” o habilidoso Wellissol habilidoso.

Morlotti frisa que o esquema tático adotado pelo técnico Norberto Lemos, com três zagueiros, foi fundamental para a recuperação da equipe, que ficou em penúltimo lugar no primeiro turno, quando esteve sob o comando do treinador Edenelson Conceição: “Temos um colombiano, o Salazar, que tem dois metros de altura e compõe muito bem um trio com o Erwin, que foi revelado no Athletico, e o João Antônio, emprestado pelo Independente de São José dos Pinhais”. Norberto, 56 anos, foi volante do Pinheiros, do Coritiba e do Internacional.

No empate com o Coritiba, por 1 a 1, dia 24, no Couto Pereira, também chamou atenção o goleiro Ravel, 23 anos, que pertence ao Andraus, de Campo Largo. Em uma mesma sequência, Ravel defendeu chutes dos laterais Sávio e Patrick Brey. “O Ravel tem um estilo argentino, uruguaio, de provocar a torcida adversária e se destaca na reposição com a bola por baixo. Tem esta facilidade”, observa o presidente.

O Rio Branco vai enfrentar o Athletico no próximo sábado (6), às 16h, na Arena da Baixada. A outra semifinal está marcada para domingo (7), também às 16h, entre Coritiba e Londrina, no Couto Pereira. Em caso de empate, pênaltis vão apontar os finalistas do segundo turno.

(Ayrton Baptista Junior)