Renan Lodi, destaque do jogo contra o Fluminense. Foto: Conmebol.

Na vitória do Atlético Paranaense sobre o Fluminense, por 2 a 0, quarta-feira (7), pela Copa Sul-Americana, a Arena da Baixada teve o maior público do ano (28.403 pessoas) e a torcida festejou novamente um item comum desde julho, quando o técnico Tiago Nunes, que orientava os aspirantes atleticanos, assumiu a vaga deixada por Fernando Diniz na equipe principal: o aproveitamento de jogadores que passaram pelas categorias de base do clube. Entre os onze titulares, cinco passaram pelo sub-20 rubro-negro: o goleiro Santos, de 28 anos; o zagueiro Léo Pereira, 22; o lateral-esquerdo Renan Lodi, 20; e os atacantes Pablo, 26, e Marcelo Cirino, 26. O personagem principal foi Renan Lodi, que fez o primeiro gol e cruzou a bola que valeu o segundo, marcado pelo atacante Rony, de cabeça.

Pablo e Santos já eram titulares com Fernando Diniz. Marcelo Cirino estava emprestado a um clube dos Emirados Árabes: o Al Nasr. Renan Lodi e Léo Pereira ficavam na reserva porque o treinador apostava em uma defesa mais experiente, com o lateral-esquerdo Thiago Carleto (que se transferiu para o Al-Ittihad, da Arábia Saudita) e os zagueiros Paulo André e Thiago Heleno. Nesta quarta, Thiago Heleno substituiu Paulo André, que acusou dores no pé.

O jogo de volta entre o Atlético e o Fluminense pela semifinal da Sul-Americana vai acontecer apenas no dia 28, no Maracanã. Antes, a equipe do técnico Tiago Nunes disputa cinco partidas pela Série A do Campeonato Brasileiro. Esta sequência começa no próximo sábado (dia 10), contra o Cruzeiro, às 19h, na Arena da Baixada. Depois, o time rubro-negro viaja para enfrentar Vasco (14) e Vitória (17). No retorno à Arena, Corinthians (21) e Ceará (25) são os adversários.

A outra semifinal da Copa Sul-Americana entre os colombianos Independiente Santa Fe e Junior de Barranquilla inicia nesta quinta-feira (11), em Bogotá, às 22h45, pelo horário de Brasília.

 

Ayrton Baptista Junior