Foto: Divulgação/AEN

Os principais problemas que geraram a aplicação das multas são referentes a cobranças indevidas e prestação de serviços sem solicitação, além de cobranças abusivas.

A diretora do Procon-PR, Cláudia Silvano, explica que 85% dos consumidores que procuram o órgão, tentaram resolver o problema diretamente nos bancos, mas sem sucesso.

De acordo com o Procon-PR, os três bancos foram notificados e tiveram tempo para apresentar os recursos, mas como eles não foram acatados, as multas aplicadas foram mantidas.

Cláudia Silvano lembra que um dos principais vilões para o endividamento das pessoas é o cartão de crédito e que esse serviço, muitas vezes, é oferecido aos consumidores sem que eles saibam que vão receber o cartão.

Cláudia Silvano lembra que todo cidadão deve procurar pelo Procon-Pr quando não consegue resolver seus problemas diretamente nos estabelecimentos. Ela ainda dá uma dica, anotar todos os protocolos e, se possível, até gravar a ligação com os atendentes.

A diretora do Procon-PR, também afirma que os valores resultantes das multas são destinados ao Fundo Estadual de Defesa ao Consumidor (Fecon) e revertidos em benefícios para os consumidores.

De acordo com o Procon-Pr, as cobranças contra as empresas que geram mais reclamações serão feitas rotineiramente.

Para reclamações, o caminho mais fácil é acessar a plataforma online www.consumidor.gov.br, também disponível em aplicativo gratuito para Android e iOS.

Para quem prefere o atendimento presencial, o Procon-PR fica na Rua Emiliano Perneta, número 47, no Centro de Curitiba.

Repórter William Bittar