Foto: Jaelson Lucas/ANPr
Terrazza Panorâmico

O Ministério Público do Paraná ofereceu a terceira denúncia contra o ex-governador Beto Richa no âmbito da Operação Quadro Negro, que investiga desvios de recursos na ordem de R$ 20 milhões que seriam destinados a reforma e construção de escolas estaduais.

Desta vez a denúncia se refere a duas escolas localizadas no município de Guarapuava. Ambas as escolas deveriam ser contempladas com novos prédios para as instituições, o Colégio Estadual Professora Leni Marlene Jacob e o Colégio Estadual Pedro Carli.

De acordo com a denúncia do MP-PR, para as obras foram realizadas concorrência pública, e através deste mecanismo o grupo criminoso investigado permitiu que fossem pagas vantagens indevidas em prejuízo ao erário público na ordem de R$ 1.654.779,42. Beto Richa foi denunciado por corrupção passiva.

Lembrando que na primeira denúncia o ex-governador Beto Richa é investigado por corrupção e desvios de recursos públicos, na segunda denúncia o ex-governador é réu por obstrução no curso da investigação, motivo pelo qual permaneceu preso por 17 dias no Complexo Médico Penal em Pinhais, todas na Operação Quadro Negro.

A defesa do ex-governador se manifestou em nota que diz queos fatos denunciados não são novos e que não há qualquer indício, após amplas investigações, a não ser a palavra de um colaborar amplamente premiado.

Na nota a defesa lembra ainda que foi o próprio ex-governador Beto Richa que determinou o início das investigações que resultaram na Operação Quadro Negro.

Repórter Vanessa Fernandes