Foto: Arnaldo Alves / ANPr

O juiz Fernando Bardelli Silva Fischer da 9ª Vara Criminal de Curitiba aceitou denúncia apresentada pelo Ministério Público do Paraná em que torna réus por obstrução de investigação de organização criminosa na Operação Quadro Negro, o ex-governador Beto Richa, Fernanda Richa e outros cinco investigados.

A Operação Quadro Negro investiga desvios de mais de R$20 milhões que seriam usados na construção e reforma de escolas públicas do estado entre os anos de 2012 e 2015.

De acordo com denúncia do Ministério Público e aceita pelo juiz Fernando Fisher, Beto e Fernanda Richa após tomarem conhecimento das investigações passaram a determinar a outras pessoas envolvidas no esquema a eliminação de provas de comunicação, bem como de documentos que evidenciassem o esquema de pagamentos indevidos.

Em seu despacho o magistrado destaca: “Verifico a existência da justa causa para exercício da ação penal, consubstanciada nos elementos indiciários e elementos de prova que instruem os autos e que representam lastro probatório da materialidade e de indícios suficientes de autoria dos delitos de obstrução de investigação de organização criminosa e organização criminosa atribuídos aos denunciados”.

Beto Richa é apontado pelo Ministério Público como chefe da organização criminosa, responsável pelo esquema de corrupção com o objetivo de obter propina de empresas privadas contratadas para prestação de serviço no governo.

Beto Richa está preso preventivamente desde o dia 19 de março no Complexo Médico Penal em Pinhais.

Repórter Vanessa Fernandes